Sororidade. Você sabe o que é?

Texto: Kah Marques

Essa palavra que popularizou no BBB 20 – Quem não assistiu o BBB esse ano que atire a primeira pedra – Essa palavra que ficou sendo uma das mais buscadas no Google, porque cá entre nós, não temos como saber o significado de todas as palavras do Aurélio. Mas, essa em especial despertou o interesse das pessoas e mais que isso, despertou a reflexão em muita gente.

Sororidade: substantivo feminino - Relação de irmandade, união, afeto ou amizade entre mulheres, assemelhando-se àquela estabelecida entre irmãs. A sua Etimologia (origem da palavra sororidade) vem do latim soror, oris "irmã" + dade. Ficou claro? Resumindo, é ter empatia, ter acolhimento, ser aberta a conversar, ver as mulheres como iguais.

Por mais que se fale tanto em feminismo, igualdade de gênero e tantos outros temas aos quais, a figura feminina está no cerne da questão. É inegável fingir que não existe uma rivalidade que vai de encontro a tudo o que é pregado dentro das questões envolvendo feminismo, sororidade, empatia e sobretudo, união entre o gênero. Isso vai mais que post no instagram e frases de efeito. Isso está além de defender uma causa de cor, peso, profissão, sexo ou qualquer quesito isoladamente, porque isso tem que estar envolvido no todo. A sororidade é a base que sustenta qualquer causa.  

Digo que somos privilegiadas por nascermos mulheres. Mesmo com a dor do parto, com os sangramentos mensais e com os hormônios em uma montanha-russa, somos privilegiadas. Mas somos mais ainda, quando conseguimos exercer a nossa força e o nosso poder de forma prática. Não acredito que é pura coincidência que conseguimos gerar uma vida, não acredito que é coincidência termos um sexto sentido tão aguçado ao ponto de conseguimos enxergar além dos nossos olhos. Há detalhes, sentimentos e perspicácia que somente o sexo feminino possui. Porém, podemos usar isso tanto para o bem quanto para o não bem (digamos assim) das demais mulheres do mundo.

Há um poder avassalador dentro de uma mulher e a coisa mais linda é quando ela utiliza esse poder para levantar, alavancar e fazer com que outras mulheres brilhem.

Esse final de semana eu experenciei uma verdadeira onda de empoderamento feminino. Fui viajar me sentindo o patinho feio, entrei em uma excursão com 98% de mulheres. Eu nem sabia dessa estatística, porque eu só queria um refúgio. E havia uma moça tão linda, mais tão linda que é daquelas que deixa você até sem graça. E de repente ela já estava conversando comigo e eu com a outra moça ao lado e de repente todas as mulheres dentro do micro ônibus estavam se comunicando. Isso se estendeu a viagem inteira. Ficamos todas em uma casa, e a todo o momento estávamos empoderando uma a outra, seja trocando experiencias, seja enaltecendo a beleza uma da outra, seja cuidando uma da outra.  Havia mulheres na faixa etária de 20 anos a aproximadamente 50 ou um pouco mais, fato é, mulheres de épocas diferentes, gostos diferentes e energia diferentes, mas que ao final tornou-se um grupo apenas lindo de se ver. E o patinho feio (no caso eu) voltou um verdadeiro Cisne.

Sabe o que custa ser assim? Nada. E sabe o que se ganha em ser assim? Tudo. E aqui nem estou enfatizando as maquiagens feitas, as roupas emprestadas, as fotos e poses incentivadas. Falo de diálogo, de acolhimento. E isso pode ser feito diariamente. Seja no seu trabalho (aonde vejo que é o lugar de maiores problemas da rivalidade feminina), seja na família, nas amizades e sobretudo, no mundo. Você pode fazer a diferença quando uma amiga está passando por dificuldades e você não a deixar esquecer de quem ela é, ao invés de ficar assistindo uma depreciação momentânea. Você pode fazer isso, respeitando as mulheres comprometidas e não se envolvendo em uma história para poder criar a sua. Você pode fazer isso quando torce e ajuda a coleguinha a evoluir no trabalho, quando você enfatiza o valor da outra mulher. Quando você dá um pouquinho da sua energia, afinal, doação é sororidade também.

A coisa mais linda é quando uma mulher desperta na outra seu lado adormecido.

A coisa mais linda é quando uma mulher usa todo o seu poder para reconstruir outras mulheres. Ainda que, nem todas fazem ou sejam assim. Ainda que, nem todas irão ser reciprocas. Ainda que, haja guerra entre o mesmo sexo por inveja, ciúmes e tantos sentimentos mesquinhos e pequenos não trabalhados, que advém da infância, de situações passadas, de outras pessoas envolvidas e tantos fatores que poderíamos aqui exemplificar, mas que nem uma tese de mestrado daria conta. Ainda assim vale a pena, e muito a pena colocar em prática tudo o que nós, mulheres, podemos fazer a outras mulheres. Quando colocamos em prática esse Dom de Ser mulher nos tornamos maiores do que somos. Não há força maior quando uma mulher decide ajudar outra mulher.  Meu desejo é: Utilize esse poder a favor de outras mulheres e definitivamente esse é o tipo de união que fortalece qualquer causa.