Para quem você se veste?



"Mulheres se vestem para outras mulheres", "é preciso se arrumar para encontrar o principe encantado", "pode até ser o que quiser, só não pode deixar de passar batom"... quantas frases como essas, ou parecidas, você já ouviu, vivênciou ou, também, falou? Frequentemente, abrimos mão do que somos para agradar quem nos rodeia. A roupa é um ponto bastante forte nessa ação de entrega de si. Dias atrás escutei uma pessoa falar:

"Um dia, o marido de "fulana" se cansará, ela não se arruma para ele.".

Embora não seja da minha conta o que o outro pensa ou deixa de pensar, custa-me acreditar que alguém é amado apenas pela maneira de vestir, Se isso acontece, nunca houve amor nessa relação.

A roupa é uma ferramenta importantíssima de poder, mas ainda não conseguiu ter total controle sobre o outro a ponto de ser um determinante para casamentos e divórcios. E quem é o ser que veste? Como está a relação dele com ele mesmo? Será que ele transmite quem ele é e quem ele não é?

Não há mais tempo para não refletirmos o que realmente somos, com todas os nossos prós e contras. Precisamos nos vestir, primeiramente, para o que mais importa, nós mesmos. Abra as portas do guarda-roupa, escolha o que tem a ver com VOCÊ, vista-se de modo a mostrar o quanto você aceita o seu corpo e sabe harmonizá-lo. As pessoas que estão ao redor, amigos, familiares, quem quer que seja, admirará, antes de tudo, o que vem de dentro e saberá compreender todos sinais de autorespeito e segurança através da imagem.

5 visualizações