top of page

Mais de 70% das marcas de shopping de moda da Região da 44 são confeccionadas no Estado de Goiás

Levantamento feito pelo Grupo Mega Moda ouviu mais de 1.000 marcas, distribuídas em seus Shoppings


Localizado em um dos principais polos de moda atacadista do Brasil, na Região da 44, em Goiânia, o Grupo Mega Moda, formado pelo Mega Moda Shopping, Mega Moda Park e Mini Moda, fez um levantamento com 1.100 lojistas sobre a origem dos seus produtos. A pesquisa mostrou que 73% das marcas confeccionam suas peças no Estado de Goiás, enquanto 22% trazem de outras localidades e 4% possuem estoque misto.

"Sabemos que ter peças confeccionadas em Goiás é um grande diferencial para a Região da 44. Em 2022, recebemos 10 milhões de pessoas em nossos Shoppings e muitos compradores têm migrado de outros polos atacadistas para cá justamente em busca de produtos com maior qualidade, preço baixo e fornecedores com produção nacional. Acreditamos que com mais visibilidade para a Região da 44 a tendência é multiplicar o fluxo de clientes em pouco tempo", destaca Felipe Braga Diretor Comercial do Mega Moda.

Região da 44

O polo distribuidor de moda da Região da 44 tem faturamento estimado em R$ 8 bilhões por ano, valor equivalente ao quinto maior Produto Interno Bruto (PIB) de Goiás, com a comercialização atacadista dos mais variados estilos de roupas e artigos de moda. A Região recebe compradores atacadistas e turistas dos quatro cantos do Brasil, especialmente do interior de Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Tocantins, Bahia, Espírito Santo, Pará e Maranhão.

Os empresários da Região contam também com o apoio do Cinturão da Moda, projeto lançado em fevereiro de 2022 pela Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços (SIC) do Estado de Goiás, visando suprir a demanda por mão de obra na Região da 44, movimentar a economia da capital e do interior e elevar Goiás à liderança nacional na produção e distribuição de moda.

O surgimento da Região da 44 foi impulsionado pela transferência, no ano de 1995, do funcionamento da Feira Hippie de Goiânia para a Praça do Trabalhador, no Setor Central da Capital. Nessa época, a feira, considerada a maior da América Latina realizada a céu aberto, já tinha uma forte e consolidada vocação para o comércio de confecções.

Cinco anos depois, em 2000, surgem as primeiras galerias de lojas. Hoje, o maior pólo atacadista de moda do Centro-Oeste e o segundo maior do Brasil compreende mais de 137 empreendimentos, entre shoppings, galerias e hotéis, que estão concentrados em nove ruas, mais três avenidas da Região Central de Goiânia.

2 visualizações0 comentário

コメント


bottom of page