A mulher que você acredita, é ela que existe.

Texto: Kah Marques

Cá entre nós, não existem princesas. A menos que você tenha menos de 10 anos de idade, o que nesse caso eu relevaria; caso contrário, vamos conversar.

Crescemos ouvindo falar da Branca de Neve, da Cinderela, da Bela Adormecida e de todas as princesas do reino da Disney. Depois vamos para a Marvel: Mulher Maravilha e tantas heroínas com Super Poderes. E a pior das realidades ilusórias da atualidade - Instagram: Mulheres super poderosas, com corpos perfeitos, com roupas perfeitas, com vidas perfeitas, casamento perfeitos, filhos perfeitos, sonhos perfeitos.

Cansou da palavra perfeita? Eu te digo uma palavra pior ainda e mais difícil de ouvir: Comparação. Algumas pessoas falsamente pronunciam a palavra inspiração, mas na verdade, como a comparação e a inspiração são parecidas, fica fácil de se enganar.

Moça, parece clichê o que eu vou dizer e vai até rimar para que não soe tão cruel: “Não demore para perceber que a única mulher que existe de verdade é VOCÊ!”.

Todas as demais mulheres sejam da Disney, da Marvel e do Instagram existe em um mundo paralelo e quanto mais cedo você acordar para a realidade, mais fácil você irá entender que VOCÊ é a mulher que tem que fazer a diferença no mundo. E essa mulher tem que se bastar independente se está usando um salto fino ou uma havaiana. Essa mulher tem que se achar linda, independente do digito que está na balança. Essa mulher tem que se orgulhar, independente se você é uma CEO ou uma garçonete. Sabe por quê? Porque cada uma de nós viemos ao mundo para vivermos a nossa vida e não a do outro. Vale grifar: Não estou aqui desmerecendo o papel de muitas mulheres inspiradoras que fazem parte da história e de tantas lutas e tantas conquistas. O que estou tentando dizer é: Você também é importante, você também é linda, você também é poderosa, você também “deve” fazer história, porque você faz parte da história que é “a história da sua vida”, que é contada por você diariamente a cada segundo do relógio e a cada batida do seu coração.

Já conheci mulheres tão lindas por fora, mas tão feias por dentro. Mulheres que comandam uma empresa, mas que não conseguiam comandar a sua vida. Mulheres que conhecem diversos países, mas que não conhecem a si mesmo. Quem é a mulher no final das contas que vai importar? É aquela que tem um milhão de curtidas ou aquela que tem muitos amigos, familiares e uma vida para cuidar? É aquela mulher que vive de água e salada ou aquela que já parou inúmeras vezes para comer aquele sorvete com cookies que tanto adora?

No final será você e você.

Serão as histórias que você viveu que irão importar. Serão os abraços que você deu; aquela tarde sentada na praia com seu marido, namorado, amigo, amiga, cachorro ou papagaio em que você ficou olhando o mar. Será aquele dia em que você pegou o carro, Uber, ônibus ou saiu a pé sem rumo. No final, moça, o que irá ficar serão as lembranças, os momentos, as recordações. Portanto, crie sua história baseada na realidade e não em filmes, conto de fadas e redes sociais. Crie sua história baseada na família de verdade, que é a tua; nos amigos de verdade que são os seus; no seu trabalho, no seu corpo, na sua existência. E, sobretudo, crie sua história baseada na mulher de verdade, que é você.

72 visualizações0 comentário